4 principais tipos de modelo de negócios para o seu empreendimento!
Negócio

4 principais tipos de modelo de negócios para o seu empreendimento!

Tempo de leitura: 6 min

Muitos empreendedores desejam investir em novas oportunidades, mas têm dúvidas de qual caminho seguir. Nessas horas, surgem questionamentos como: “devo começar algo do zero ou optar por uma estrutura que já provou funcionar? É preferível injetar capital em um negócio existente ou criar um novo produto?”. Diante dessas perguntas, nada melhor do que pesquisar pelos tipos de modelo de negócios para ter mais clareza e alcançar o sucesso.

Isso porque o modelo de negócios é o que dá a forma ao que uma empresa fará, determinando todas as principais ações que vão ser observadas e documentadas. É ele, inclusive, que ajuda o empreendedor a entender com mais nitidez os aspectos do negócio. Além disso, auxilia a garantir que todos estarão alinhados para executar as tarefas da melhor maneira possível.

Portanto, a escolha do modelo de negócios que você vai seguir pode fazer toda a diferença para o sucesso da sua empresa. Preparamos este conteúdo com 4 diferentes vertentes para ajudar sua decisão nessa etapa tão importante. Confira!

  1. Marketplace

O modelo de marketplace disponibiliza produtos de diferentes vendedores em um único ambiente virtual. Normalmente, isso acontece em um e-commerce de grande porte — que pode ou não vender mercadorias próprias —, mas que possui alto volume de visitantes que frequentam o site e confiam em sua marca.

A Amazon foi a precursora da estratégia, que logo acabou sendo adotada por empresas como Walmart, Americanas, Submarino, Extra.com, Mercado Livre e Saraiva. Esses negócios passaram a permitir que outras lojas virtuais se conectassem à sua plataforma para oferecer produtos aos seus visitantes.

Vantagens e desvantagens

A principal força do modelo é a ampliação do portfólio de produtos oferecidos pela empresa a baixo custo, já que não é preciso investir em compras, estoque etc. Isso traz uma maior escalabilidade e benefícios justamente por permitir a oferta de produtos de nicho.

A desvantagem é que o marketplace exige grande esforço de divulgação e um forte estabelecimento da marca no mercado. Exige também uma série de atividades para garantir que os varejistas parceiros ofereçam qualidade e evitem problemas de insatisfação por conta de erros e demora de entrega.

  1. SaaS

A sigla representa o conceito de “Software as a Service” e funciona oferecendo serviços de acesso, manutenção e suporte de um determinado software via internet, cobrando uma assinatura mensal.

Esse é um modelo de licenciamento e entrega de software no qual a empresa que o fornece é responsável pela infraestrutura necessária para rodar o sistema, como conectividade, servidores, segurança, atualizações, entre outros.

Basicamente, o SaaS é uma evolução do modelo tradicional, no qual o cliente pagava por uma licença única ou anual para poder usar o sistema em seus próprios computadores ou servidores.

Por esse motivo, o termo “as a service” (software enquanto serviço) faz sentido, já que uma série de serviços é agregada com o intuito de reduzir as dores de cabeça do cliente e permitir que ele preocupe apenas com o uso correto do sistema.

Exemplos de empresas que adotam o modelo são a Netsuite e Conta Azul.

Vantagens e desvantagens

A vantagem do SaaS é que ele gera um maior número de benefícios — e menos incômodos — para seus clientes, bem como receitas recorrentes para a empresa fornecedora — uma vez que o pagamento é mensal.

A desvantagem é que o modelo exige dos clientes um acesso à internet de banda larga e possui altos custos de serviços de infraestrutura na nuvem.

  1. Modelo de assinatura

O modelo de assinatura tem como ideia oferecer um serviço ou produto de forma contínua, cobrando o uso de maneira recorrente, normalmente por meio de mensalidades.

É um modelo com uma opção de fonte de receita mais voltada para serviços online, mas sua origem está ligada a serviços físicos regulares, como ensino (escola) e materiais de mídia impressa (jornais e revistas).

Apesar do tipo de cobrança mensal ser o mais comum, também se pode optar pela forma diária, semanal, trimestral, semestral ou mesmo anual.

Ao seguir esse modelo, os negócios procuram melhorar seu fluxo de caixa com pagamentos recorrentes automáticos, ao mesmo tempo em que proporcionam maior valor ao cliente ao longo do tempo.

Alguns exemplos de empresas que seguem esse negócio são Spotify, Netflix e ClubeW (entrega mensal de vinhos).

Vantagens e desvantagens

A maior vantagem do modelo de assinatura é que ele não sofre com a menor variação das receitas em seu fluxo de caixa. Graças às renovações automáticas e à oferta contínua de produtos e serviços, as empresas iniciam os meses contábeis com uma previsão de receita mais precisa. Sendo assim, elas podem programar melhor seus custos diretos, gastos e investimentos.

O modelo pode sofrer com as altas taxas de cancelamento, especialmente, se o equilíbrio entre custo de assinatura e valor agregado não estiver otimizado.

  1. Franquias

A franquia — ou franchising, em inglês — funciona oferecendo o direito de uso de marca e modelo de operação de um negócio por um período determinado.

Nesse modelo, existem dois tipos de atores principais: o franqueador e o franqueado. Para o primeiro, essa é uma excelente estratégia de distribuição e crescimento da marca, sem grandes investimentos ou desembolsos.

Já para o segundo, o modelo é uma forma mais segura de começar a operar o seu próprio negócio, com uma alta taxa de sucesso desde o início de operação, uma vez que o franqueado poderá abrir um negócio nos mesmos moldes ao de uma empresa estabelecida no mercado, com modelo de negócio comprovado e processos padronizados e testados. Dessa maneira, as chances de erro são bastante reduzidas.

Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), apenas no primeiro trimestre de 2018, o faturamento das franquias no país ultrapassou os R$ 38 bilhões, com destaque para o setor de alimentação, responsável por mais de R$ 10 bilhões. Os números representam o quanto o modelo pode gerar bons negócios e bom faturamento.

Um caso de sucesso de empresa que utiliza este modelo é a brasileira Bobs.

Vantagens e desvantagens

Ao optar por ser um franqueado, a marca oferece todo o treinamento adequado para que seu modelo seja replicado. É por isso que as franquias possuem uma taxa de sucesso maior do que outros empreendimentos que começam do zero.

Para começar, as franquias precisam pagar uma taxa inicial pela venda dos direitos da marca (de taxa de franquia), um percentual das vendas mensais e uma mensalidade pelos royalties do uso da franquia (e de publicidade).

Como existem diversos tipos de modelo de negócios, é preciso estudar bem qual deles a sua empresa vai seguir. A partir do caminho escolhido, você entenderá mais sobre o cliente, mercado, forças e fraquezas do setor. Essa definição pode determinar o sucesso e expansão da sua marca, isso sem falar nas suas possibilidades de aplicabilidade e de faturamento.

Gostou deste post? Assinando o nosso newsletter você receberá em seu e-mail dicas, eventos do setor e outros materiais que ajudarão você em sua gestão.

Conteúdo produzido pela Rock Content