NEGÓCIO Como ser um bom administrador usando dicas de Harvard
Negócio

Como ser um bom administrador usando dicas de Harvard

Tempo de leitura: 8 min

Quer saber como ser um bom administrador vai além de trazer rentabilidade para o negócio? Nós vamos explicar! É claro que esse é um dos principais objetivos que qualquer empreendedor deseja alcançar. Mas, adotar algumas práticas interpessoais poderá aumentar as chances de conquistar o sucesso na sua gestão. É o que aponta profissionais que trabalham para a Harvard, uma das melhores e maiores instituições acadêmicas do mundo. Segundo Jennifer Stine, consultora, professora e inovadora, que tem ampla experiência em liderança:

“Tornar-se um gerente verdadeiramente eficaz exige muita autorreflexão, observação e crescimento”.

Basicamente, é necessário aperfeiçoar e reinventar habilidades existentes, além de aprender novas a todo momento. Se você já tem a sua franquia ou está planejando empreender neste modelo de negócios em breve, a ideia é que, neste post, você aprenda a aprimorar competências para gerir e tomar decisões acertadas, especialmente ao conhecer o Método Harvard de Negociação. Quer conhecer todas as dicas que separamos? Continue a leitura!

5 dicas de Harvard para você saber como ser um bom administrador

Entre os principais tópicos abordados por especialistas – que incluem estratégia de negócios, liderança, gerenciamento e negociação –, o intuito é mostrar oportunidades de desenvolver práticas simples, mas que farão toda a diferença na sua administração. Então, vamos às dicas?

1) Lembre-se da autoconsciência

Treinar a autoconsciência é essencial quando o assunto é como ser um bom administrador. Refletir sobre si mesmo, sobre próprias condições e metodologias é uma habilidade que pode te ajudar a expandir internamente e, consequentemente, melhorar a sua gestão. Ainda de acordo com Jennifer, os melhores gerentes estão constantemente abertos para novas informações e experiências.

“O núcleo da inteligência emocional é a autoconsciência: se você não entende suas próprias motivações e comportamentos, é quase impossível desenvolver uma compreensão dos outros. A falta de autoconsciência também pode frustrar sua capacidade de pensar racionalmente e aplicar recursos técnicos.”

Outro fator importante é ter a ciência de que o aprendizado é uma linha contínua. Afinal, você, como administrador e proprietário de um negócio, além de atuar com sua expertise, pode (e deve) ter o conhecimento como seu fiel aliado. Busque cursos, treinamentos e esteja preparado para captar insights das mais diversas fontes! Essa estrutura consciente, sem dúvidas, vai te auxiliar a desenvolver e consolidar relações muito mais sólidas dentro do ambiente corporativo.

2) Tenha inteligência emocional

Complementando a autoconsciência, a inteligência emocional é uma capacidade técnica interna que irá fortalecer a sua gestão empresarial. Segundo uma pesquisa realizada pela Harvard Business Review, esse aspecto é responsável por aproximadamente 90% das qualidades que, geralmente, leva as pessoas ao topo – considerando que o QI e as habilidades técnicas sejam praticamente iguais.

A inteligência emocional melhora a performance não só da gestão, mas também da equipe. Isso porque o levantamento também constatou o aperfeiçoamento do desempenho organizacional como um todo. Vejamos um caso bem interessante sobre o poder de saber lidar e administrar as emoções: após a empresa Motorola mobilizar um treinamento de IE (inteligência emocional) para todos os membros da fábrica, a produtividade aumentou em mais de 90% – ainda de acordo com dados da revista.

3) Resolva conflitos internos

Resolver conflitos no ambiente de trabalho é uma tarefa que exige cautela. O mais importante para conseguir reverter esses desafios é, principalmente, saber ouvir. Com essa atitude é possível debater e, então, mediar. No geral, a grande maioria dos atritos acontece por falta de reconhecimento de esforços e divergência de ideias. Segundo Patrick L. Montana, professor da Hofstra University, em Nova York, os conflitos podem acontecer de forma individual ou em grupo e praticadas entre duas ou mais pessoas. Veja alguns exemplos propostos por Montana:

  • Internos: quando um indivíduo entra em conflito com suas próprias opiniões;
  • Indivíduos: quando os atritos entre pessoas se dão por diferenças de personalidade ou pensamentos;
  • Indivíduos e grupos: quando um indivíduo não concorda com as atitudes de um determinado grupo e têm problemas com a equipe ou toda a empresa;
  • Grupos: de acordo com o professor, esse conflito é inevitável, já que a competitividade e os diferenciados estilos de gestão são necessários para a operação do negócio.

Para a resolução desses desafios, é necessário administrar e fazer um estudo contínuo. Identifique as causas do problema e estabeleça novos planos para seus funcionários, lembrando sempre de ouvir as duas partes. Ajude todos os envolvidos com uma solução inteligente, por exemplo, integrando o seu time com treinamentos e trabalhos em grupo. Com esse entendimento em mãos, você poderá traçar uma estratégia eficaz e manter o clima organizacional mais harmonioso.

4) Abrace soluções inovadoras

A inovação é um fator de sucesso quando se trata de como ser um bom administrador. Um levantamento feito pela IBM – com mais de 1.500 CEOs do mundo todo – mostrou que a criatividade é o princípio que mais consideram importante para conquistar o êxito. Então, explorar necessidades organizacionais do negócio por meio do raciocínio inovador, possivelmente, vai te ajudar na resolução de problemas.

Afinal, se pararmos para pensar, é um processo que fomenta acontecimentos positivos:  obstáculos precisam de conclusões transformadoras, e as mesmas precisam de ideias criativas para se tornarem soluções. Por isso, inovar – seja buscando novas alternativas, ampliando as referências ou trocando conhecimento com outros profissionais – sempre será uma forma construtiva de superar as situações do cotidiano.

5) Conheça o Método Harvard de Negociação

Agora, vamos falar sobre negociação para sua administração. Para quem não conhece, o Método Harvard de Negociação é uma técnica que envolve pequenas estratégias para alcançar objetivos na hora de firmar um acordo. A metodologia foi desenvolvida pela Harvard Business School a partir de estudos descritos no livro “Como Chegar ao Sim” escrito pelos professores Bruce Patton, Roger Fisher e William L. Ury. Recomendamos a leitura para complementar suas competências de negociar!

Para entender mais a fundo esse método, a própria instituição montou quatro princípios nos quais, você, administrador, poderá focar e encontrar soluções inteligentes para atender suas demandas e traçar planos bem-sucedidos. Vamos entender mais sobre eles? Veja abaixo:

  • Pessoas

Neste ponto, é importante “separar” as pessoas da negociação. Ao lidar com a transação em si, você também enfrenta comportamentos pessoais da outra parte. Muitas vezes, essa troca resulta em conflitos que podem atrapalhar o negócio. Ou seja, mantenha o foco 100% na sua estratégia e não leve o processo para o lado pessoal.

Vale considerar os interesses em comum e manter um posicionamento imparcial e neutro. Caso haja desentendimentos, a dica é aflorar a comunicação: conversar e entender o real motivo do confronto é a melhor forma de lidar com a situação!

  • Interesses

Após manter o bom relacionamento devemos olhar para os interesses. Afinal, as duas partes do acordo precisam mirar para a mesma direção, certo? Para evitar atritos nessa etapa, é válido ir direto ao ponto jogando limpo com seus potenciais parceiros e apresentar quais princípios norteiam seus objetivos. Definir as “regras” de imediato reduz as chances de problemas futuros. O sucesso da negociação só irá se concretizar se os dois lados considerarem apenas os interesses e entenderem pontos negociáveis um do outro.

  • Opções

Em qualquer processo de negociação, cada uma das partes tem seus objetivos principais. Por isso, é importante ter uma espécie de “plano b” com outras alternativas caso a opção que você tenha em mente não seja efetivada por algum motivo. Para que nenhum lado envolvido fique insatisfeito ou frustrado, saiba equilibrar os interesses e opções de negócio!

  • Critérios

Tenha critérios definidos para o seu acordo. Sem eles, a negociação tem bastante chance de ser prejudicada. É fundamental que sejam claros e justos, o que impede aquele sentimento de dúvida ou até mesmo de desconfiança. Aqui, você deverá usar toda a sua imparcialidade e ser maleável para aceitar os requisitos do seu parceiro de negócio.

Seguindo os quatro princípios do Método Harvard de Negociação, possíveis desgastes durante o processo de negociar poderão ser evitados. Você conseguirá manter o bom relacionamento e ainda garantir a prosperidade em negócios em outras ocasiões.

É hora de colocar em prática!

Sabemos que os caminhos de como ser um bom administrador podem não ser tão simples, mas com algumas orientações e práticas, é possível ser mais produtivo e alcançar uma gestão mais eficaz. Estudar, experimentar, pesquisar e utilizar as dicas de Harvard são formas de te ajudar a ficar um passo à frente na administração bem-sucedida. Gostou? Deixe o seu comentário no post e nos diga qual indicação você irá testar primeiro!

Texto produzido pela Agência Mantra.

Agência MANTRA

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.